Kitty's Place

sábado, dezembro 04, 2004

Flor de lótus

Confesso que é mais forte que eu. Tentei resistir mas não consigo. “É muito difícil”!

Para os interessados, aqui ficam trechos do livro “Madame Mao"*, de Anchee Min, que acho serem bastaste esclarecedores sobre a atrocidade cometida a miúdas chinesas, tudo porque os homens adoravam pés pequenos e delicados... Assim seria possível obter um casamento melhor.

“A menina é curiosa. (...) Brinca com as tiras de pano que lhe envolvem os pés, pega numa ponta e depois deixa-a cair. A mãe está a mexer um frasco de papa de arroz gomoso. A menina sabe que o arroz será usado como cola. Cola boa, resistente, que não parte, diz a mãe. Que não deixa entrar o ar. As múmias antigas eram conservadas da mesma maneira.

(...)

Quando a mãe afasta o frasco, a menina salta para o chão e começa a brincar.
De agora em diante, deixa-te ficar na cama, que a dor demora a passar, diz a mãe.

A menina só começa a ter problemas na terceira semana. Já está cansada das suas patas de elefante e agora tem dores. Os dedos dos pés reclamam espaço. A mãe está junto dela. Está ali para impedir que a menina rasgue as tiras de pano. Guarda as patas de elefante como se guardasse o futuro da menina. (...) Depois a situação agrava-se. Os pés da menina infectam. As lágrimas da mãe caem. (...) Pergunta porque não teve um filho. Continua a dizer à menina que as mulheres são como as ervas, que nasceram para ser pisadas.

Corre o ano de 1919. (...) A China está em colapso e ninguém presta atenção ao choro da menina.

A menina nunca consegue esquecer as dores, nem sequer depois de se tornar Madame Mao, a mulher mais poderosa da China no fim dos anos sessenta e na década de setenta. Recorda as dores a que chama “provas dos crimes do feudalismo” (...).

(...)

A minha mãe escandaliza-se quando eu arranco as tiras de pano malcheirosas à sua frente e lhe mostro os pés. Estão azuis e amarelos, inchados e cheios de pus.”

Quem dera que fosse apenas ficção...

* Este livro retrata uma abordagem diferente daquela apresentada pelo livro “Cisnes Selvagens”. Trata-se “do outro lado da barricada” da história da China, contudo, sempre na perspectiva da mulher, neste caso de Madame Mao.

3 Comentários:

Blogger Kitty said... (11:03 da tarde)

Em nome da S. deixo aqui a sua contribuição, que me enviou por mail. Thanks!

"O que tu n escreveste nessa parte, é que por vezes davam golpes nos dedinhos das meninas antes de os enrolar...

Mas há pior, na Índia afogam as raparigas à nascença por causa dos dotes... Sec. XXI ???"

 
Blogger Pedro Lopes said... (9:08 da tarde)

Queimada Viva - Sahid

lê!

 
Blogger Kitty said... (10:01 da tarde)

p: esse nunca li, mas já li alguns semelhantes... inexplicável, como ainda é possível... :-(

 

Enviar um comentário

Links:

Criar uma hiperligação

<< Kitty's Place