Kitty's Place

terça-feira, novembro 30, 2004

Manif

Jovem.
Se tens mais de 18 anos e não utilizas os piscas junta-te ao nosso movimento.
Unidos venceremos.
Está na hora de banir esse terrível flagelo das nossas estradas e dos nossos automóveis.
Bem sabemos que o laranja está na moda, mas os piscas já eram.
Participa. Concentração dia ____ às ____ em _____________.

Ora porque é que eu nunca vi nada disto anunciado por aí, de entre as várias manifestações populares que decorrem no nosso país?!
Afinal de contas, pelo menos, 90% da população não dá utilização à bela invenção que dá pelo nome de pisca-pisca... Por isso a adesão e o sucesso seriam garantidos!

“Ah! Vou parar já aqui o carro o outro que vem atrás que adivinhe”. Ou então, “deixa-me cá voltar à esquerda, isto é rápido, os outros nem dão conta...”

Duas grandes conclusões:
  1. Os outros nunca contam;

  2. Temos todos poderes paranormais, porque apesar de tudo os toques vão-se evitando...
P.S.: Se a comunicação social dá tempo de antena a indivíduos que, coitados, gastam o seu dinheiro a alterar as voitures e depois não lhes sobra para irem para uma pista correr, de tal forma que reivindicam o direito a estradas fechadas pela polícia só para eles usarem em corridas, esta manifestação anti-pisca não seria assim tão surpreendente...

segunda-feira, novembro 29, 2004

Acção - Reacção

Afinal a minha provocação sempre surtiu efeito! Ainda há mulheres de fibra.

Se calhar o sonho que temos, quando somos jovens, de mudar o mundo, nem que seja um pouquinho, não é assim tão utópico ou ingénuo (vejam bem, eu levo para o emprego sacos de plástico e trago os mesmos, no carro, cheios de papel ou garrafas de plástico, para reciclar - não me digam que é em vão, de qualquer forma continuarei a fazê-lo!).

Se assim fosse ninguém ligaria a uma gatinha enroscada no seu cantinho, que vai escrevendo sobre tudo o que lhe apetece... (pronto, quem me conhece sabe que falo que me desunho, a escrever porque é que haveria de ser diferente?!)

É realmente verdade, não somos todos iguais e é uma grande injustiça meter toda a gente no mesmo saco, eu cá, também não gosto!
Parece-me, de facto, abusador considerar que todos nos comportamos da mesma forma.
De vez em quando estou mais azeda e este tipo de comentário depreciativo e generalista desponta...

Contudo, foi, na sua essência, uma provocação. Que pelos vistos surtiu efeito!
Quem ainda não percebeu do que falo, refiro-me ao comentário, que coloquei no post "A faixa renegada", sobre as mulheres.

Haja alguém que ainda reage. Nestes tempos de apatia e indiferença, da sociedade em que habito, apraz-me ver que alguém ainda se insurge perante as barbaridades que vão sendo escritas e ditas por aí.

Thank you my dear.

Mas pelos vistos continuamos em minoria...

domingo, novembro 28, 2004

A Gula

Quem diria que este substantivo poderia ter tantos significados? Se não, vejam, segundo a Infopedia:

  1. Excesso no comer e no beber; glutonaria; gulodice;

  2. Um dos pecados capitais, segundo a doutrina católica;

  3. Desejo exagerado; sofreguidão;

  4. ARQUITECTURA moldura em forma de S deitado, numa cimalha ou cornija;

  5. Espécie de plaina.

A definição me interessa mesmo é a n.º 2. Não deixa de ser interessante que a igreja católica considere a gula como um dos sete pecados mortais, quando, na realidade, sempre a incentivou...

Alcáçovas. Terra perdida, agora já não, no Alentejo, mais concretamente no concelho de Viana do Alentejo. Este fim-de-semana albergou a “V Mostra de Doçaria”, com particular incidência na doçaria conventual e regional.

Daí o meu espanto perante a DOUTRINA católica, que calaloga a gula como pecado capital...
Haverá maior incentivo à gula, para a maioria dos comuns mortais, do que as iguarias que são originárias dos conventos?

Realmente, ou é má vontade minha, o que também é possível, ou então aquela malta era toda masoquista... Por um lado é pecado, ainda para mais, mortal, e por outro confeccionavam, provavelmente, os doces mais doces que conheço (peço desculpa pela redundância).

Pelo menos já encontrei uma breve explicação para as origens remontarem aos conventos:

“Os conventos acolhiam nas suas Regras as filhas da nobreza e das famílias mais ricas que, além dos seus dotes de importantes rendas, traziam consigo hábitos de alimentação e receitas familiares que deram a origem a requintadas preparações gastronómicas e a doçaria rica e por vezes complicada.”
In Conventualidades


À parte dos pecados que a igreja acha que o são, as iguarias eram para todos os gostos, desde que estes fossem bem doces!

Barrigas de Freira*, Encharcada, Lampreia, Bolo Real, Bolo Rançoso, Bolo Fidalgo, Suspiros, Sericá, Bolo de Chocolate, Bolo de Bolacha, Cavacas, Toucinho do Céu, Pão de Rala, Biscoitos de todos os tipos, entre outros... Uma verdadeira avalanche de calorias.
Para ajudar à digestão ainda haviam uma série de licores - uma ginjinha, por exemplo!

Ainda bem que este tipo de gulodice não me afecta... Se fosse uma mostra de gelados artesanais, aí sim, estava bem tramada...

* Este nome também dá que pensar. Das duas uma: ou as freiras comiam que se fartavam – GULOSAS!!!! – ou então aquela história do celibato não passa mesmo disso... uma grande história... (Gulosas na mesma...)

sábado, novembro 27, 2004

A faixa renegada

Após um post de reflexão, escrito num dia específico e com um sentimento bastante particular, fica aqui uma abordagem mais jocosa a um dos muitos problemas que temos com o asfalto...

Há quase um ano que vou para o trabalho (em Lisboa) de popó. Sim, é verdade, troquei os transportes públicos pelo belo do “cu tremido” - é mesmo isso, não vale a pena inventar figuras de estilo para alindar a coisa (os motivos desta troca dão pano para mangas, ficam para mais tarde...).

De qualquer forma, já conduzia regularmente. Houve uma fase em que não trabalhava em Lisboa, pelo que aí ia realmente de automóvel (não estão a ver o que é o melodrama de ir do Barreiro para Almada, por exemplo, de transportes públicos – a isto adicionem um computador às costas e o resto da tralha e tudo se encaixa...), ainda por cima os km eram pagos... (foi aí que me estraguei...)

Mas adiante!

Não sei se já repararam num flagelo que atinge as nossas auto-estradas, em particular as que possuem 3 faixas. A faixa da direita parece que não tem qualquer utilização. Nunca notaram em extensões de km sem ninguém na faixa da direita, enquanto que nas restantes faixas se luta pela liderança?!

Vai daí que temos que investir em sinais como “CONDUZA PELA DIREITA”, lá estão eles na A2, ou então, no painel electrónico à entrada da Ponte Vasco da Gama...

Inicialmente esta situação deixava-me um bocadinho irritada (se algum dia alguém se lembrar de instalar uma câmara oculta no meu carro...). Dependendo do dia ainda deixa, mas na generalidade das vezes ignoro-os... Vou na minha faixa (lembrem-se que devemos conduzir pela direita), não tenho ninguém à minha frente, óptimo!

Para verem o ridículo da coisa já cheguei a ir na faixa da direita a 60/70 km e deixar muita gente para trás na faixa do meio. Experimentem conduzir na A5...
Afinal de contas o excesso de velocidade é uma infracção grave mas olhem que esta...

Imaginem que vocês vão calmamente na faixa da direita. Não há ninguém na faixa da esquerda e vai alguém mais devagar na faixa do meio? O que fazem? Qual é a manobra mais perigosa?!

  1. Atravessarem duas faixas para a esquerda e passar o Sr. pela esquerda ou;

  2. Continuam na vossa faixa?

O que mais me intriga são os motivos para que esta faixa seja ignorada... Será que os condutores se sentem menos viris, no caso dos homens, se conduzirem pela direita!? Só pode ser um sinal de fraqueza. Para os homens é tudo uma questão de masculinidade, quando se trata de asfalto.
Bom, no caso das mulheres, esqueçam, aquilo não dá para mais, é o género daqui não saio daqui ninguém me tira, não vou mexer no volante, né? (sim, as meninas podem bater-me à vontade...)

Mas, chefe, chefe, chefe... eu tenho uma ideia...
... e não é vestir-me de mulher, que isso já sou!*

Tive uma ideia luminosa que vai levar a que a faixa da direita das AE seja a mais concorrida. E se reservássemos esta faixa para o BUS?!
Iam ver que a adesão ia aumentar em massa...

* Quem não percebeu ou não conhece era uma alusão ao Gato Fedorento... :o)


Dia da Memória

Breve Nota:
O texto foi escrito originalmente dia 21/11/2004.
Quem já passou por tal situação não se zangue, nem me leve a mal. Foi a pensar em vocês que escrevi este texto, especialmente num amigo muito querido.



Dia 21 de Novembro de 2004 – o dia da Memória, em Portugal e na Europa. É, em meu ver, sem dúvida, um grande motivo para reflectir.
Dia da Memória – o dia em que se recordam as vítimas de acidentes de viação. Uma atitude nobre, a de quem se lembrou de providenciar este dia, desde que tenha realmente algum efeito prático. Como diz a sabedoria popular “De boas intenções está o inferno cheio”.

Aqueles que já foram vitimados ou os familiares dos que foram retirados abruptamente desta vida por causa de uma estupidez, deles ou de terceiros, mas SEMPRE UMA ESTUPIDEZ, jamais esquecerão o que perderam ou pelo que passaram. Não vai ser este dia que lhes trará conforto.
Portanto, trata-se de um dia para os restantes MORTAIS. Cabe-nos a nós perceber o que sucede todos os dias nas nossas estradas e, receio bem, continuará a acontecer.

Somos os últimos na Europa em tudo, excepto em factos como o n.º de acidentes de viação e outro tipo de estatísticas que nada abonam a nosso favor, como por exemplo, o alcoolismo... Ah! Se calhar até são dados que estão interligados, não?!

Enfim, enquanto se continuar a apreciar o tipo de comportamento “Eu sou um verdadeiro herói, eu bebo e nada me acontece” ou então “Fogo pá, fui apanhado pela Polícia, que AZAR!” não chegamos a lado nenhum, pelo contrário, continuaremos a retroceder em relação ao velho continente. Não é azar nenhum ser apanhado pela polícia, é simplesmente o que estávamos a pedir. É o castigo justo para a nossa infracção.

Não. Não estou com isto a querer dizer que concordo com a revisão do código da estrada, que vai ser aprovada dentro em breve, apenas irá ter consequências financeiras nos nossos bolsos, sem qualquer efeito realmente pedagógico.

Mas a realidade é que os prevaricadores são tidos como verdadeiros exemplos a seguir. Onde está a lógica disto?!
Já ouviram alguém falar da sua proeza de sair à noite e NÃO BEBER uns copos?! Claro que não, isso não é “cool”, não traz valor acrescentado ao CV social.

Outro aspecto que me repugna nisto é, não sei se é uma característica do ser humano, em geral, ou apenas do português, em particular, o facto de sermos adeptos da morbidez.
Quando vão calmamente, ou não, a conduzir por essa estrada fora e vêem umas luzinhas azuis, de ambulância, não conseguem deixar de tentar ver todos os pormenores do sucedido, de tal forma que, por vezes, o acidente mais grave se dá na faixa contrária ao inicial. E para quê, para lhes sair um jackpot? Neste caso é provavelmente massa encefálica espalhada pelo asfalto. Logo a seguir soltam um verdadeiro “Que horror” e, provavelmente, um suspiro de alívio. Afinal de contas é outro ser que está por ali retalhado e não eles.

Em primeiro lugar porque é que olharam? Para alimentar a morbidez que os habita e exige que vejam todos os pormenores suculentos.
Em segundo, bem lá no fundo, o egoísmo leva-os a sentirem-se reconfortados por ter acontecido a outro e não a eles.

Infelizmente, a crença aponta para que “o mal só acontece aos outros”. Lembrem-se, qualquer dia são os nossos coágulos de sangue que estão a cobrir uma qualquer superfície na rua, e aí seremos nós o circo para a restante humanidade.
Nesse dia será demasiado tarde para precisarmos de um “dia da memória”. Seremos nós ou os nossos entes queridos que o alimentam, todos os dias, todos os anos, não apenas no dia 21 de Novembro.

sexta-feira, novembro 26, 2004

Hello Kitty

Sim, começou por ser uma piada tipicamente ribeirinha, que, para variar, ninguém captou ou achou graça!
Escolhi este nick - Kitty - por me lembrar da figura do "Hello Kitty" mas também para o pessoal no MSN poder dizer-me "Hello Kitty"...

Enfim... não colaboraram mas ficou Kitty na mesma.

Porquê um blog? Pronto, a minha grande amiga M. gosta de me apelidar de várias coisas, entre elas, "croma dos PC's". Vai daí que, na era da blogmania, faz todo o sentido uma croma dos PC's ter um, ou não?! Whatever...

Também só lêem se quiserem. No entanto, se não o fizerem não se queixem das prendas no Natal ou aniversário... :P

Não pretendo ser séria, nem politicamente correcta, nem sequer agradar. Realmente este blog é um acto muito egoísta, não tem qualquer tipo de intenção de melhorar o mundo! Apeteceu-me.

Agora mais a sério...

Sempre me expressei melhor escrevendo do que falando... Sou aquilo a que a minha mãe apelida de "Bicho do Mato" e como tal o único objectivo deste espaço é partilhar um pouco da minha "toca" com vocês. Não posso é garantir que escreva todos os dias...

Beijinhos para todos, aqui do meu cantinho, até amanhã, que hoje é sexta feira!...